TERAPIA DE CASAL E/OU FAMILIAR

Na abordagem sistêmica, que atende família e casal, tem-se a visão de que quando um elemento da família apresenta um problema, este pode estar relacionado com todos os outros membros do sistema familiar, isto é, o problema pode ter origem no padrão funcional das relações familiares e afetar todo o grupo familiar.

Assim, a terapia familiar trata toda a família e seus vínculos, não somente aquele que, isoladamente, apresenta o conflito. Geralmente, a família procura terapia quando está passando por um problema que não consegue resolver sozinha. Pode ser pelo fato de um dos membros apresentar um transtorno psíquico, a presença de álcool ou drogas, a iminência de uma separação, perdas, etc.

Assim, a terapia é indicada sempre que conflitos na relação estejam prejudicando a harmonia familiar, podendo, inclusive, provocar sintomas em um ou mais membros da família. Quando a família participa junto da terapia, haverá um somatório de forças em direção à resolução dos conflitos.

A terapia de casal é focada na relação do casal, sejam marido e mulher, namorados e casal homoafetivo. Nela, o terapeuta faz o papel de mediador, utilizando intervenções e procedimentos que envolvem diretamente a relação do casal.

A terapia de casal visa promover a qualidade relacional, melhorando a comunicação e o vínculo conjugal, instrumentando ambos a lidarem melhor com os conflitos que surgem das demandas da vida a dois, tais como rotina, interesses, divisão de papéis, intimidade, cumplicidade, sexualidade, filhos, família, entre outros.

O terapeuta facilita o diálogo do casal por meio de perguntas, sugestões e tarefas que podem levar à diminuição dos conflitos, capacitando o casal a enfrentar seus problemas e encontrar soluções mais construtivas.